O empreendedorismo no Brasil cresce ano a ano.

Segundo pesquisa do SEBRAE, a quantidade de pessoas que abrem um negócio próprio cresceu 7% de 2017 para 2018. Sinal de que os jovens pensam mais em uma carreira solo do que seguir um tradicional plano de carreira em grandes empresas. As causas são diversas, desde necessidade or conta do desemprego até a busca por uma melhor qualidade de vida. Afinal, ser o dono do negócio traz suas vantagens. Mas cuidado, o caminho não é dourado na vida de quem empreende. Existem inúmeras opções de investimento na hora de abrir um negócio. 

A primeira coisa a se fazer é definir o mercado de atuação e o capital disponível para investimento. Depois, a dúvidas que a maioria dos empreendedores tem é escolher entrar em uma rede de franquias ou criar uma marca do zero, um negócio próprio novo. Já adiantamos que as duas opções tem suas dificuldades e vantagens. Por isso, listamos abaixo as diferenças entre esses dois modelos de negócio para ajudar na escolha. Vantagens e Desvantagens O início é sempre mais difícil. As dúvidas e a falta de experiência podem pesar nesse momento de tantas escolhas. Com o país em desenvolvimento, ainda há muito terreno a se explorar dentro de mercados já consolidados, além dos novos mercados que estão sendo criados. Mas as diferenças entre uma franquia e um negócio próprio permanecem, mesmo em segmentos mais novos.

1) Experiência A experiência tem um peso grande no andamento do negócio. Pequenas decisões podem ser determinantes para a sobrevivência da empresa. Nesse item, a franquia leva a vantagem de carregar toda a maturidade de um negócio existente e já testado. Com o contrato de franquia, vem também o apoio completo no plano de negócio e na implantação da nova unidade, resolvendo questões que, sozinho, o empreendedor demoraria muito mais para concluir. 

2) Aceitação no mercado Entrar em um mercado com uma nova marca demanda maior investimento nesse novo nome. É necessário que as pessoas conheçam e confiem nessa maca para se tornarem clientes. Por isso as franquias funcionam bem, o primeiro ponto é a utilização de uma marca já reconhecida. O investimento de dinheiro e tempo para ser reconhecido não é necessário, o foco estará totalmente na operação. 

3) Autonomia O empreendedor precisa conhecer seu perfil para escolher um modelo de negócio. Uma rede de franquias tem manuais e padrões a serem seguidos para a operação se manter igual em todas as unidades. Se o empreendedor prefere inovar por conta própria ou não se encaixa bem em um modelo pré-definido, o negócio próprio pode ser a melhor escolha. Há também a possibilidade de encontrar uma rede de franquias que abra mais espaço para os franqueados opinarem nas inovações da marca. 

4)Investimento A partir do capital inicial disponível, as duas opções são válidas, tudo depende da estrutura necessária para iniciar o negócio. Se o capital é baixo, abrir uma franquia pode ser uma boa opção, já que é mais fácil encontrar créditos para esse modelo. Aparentemente abrir um negócio próprio pode ser a melhor opção nesse caso, mas deve-se somar ao custo inicial todo o investimento em reconhecimento de marca e o aprendizado necessário para chegar ao ponto de equilíbrio. No geral, para empreendedores com menos experiência abrir uma franquia é o melhor caminho, já que conta com todo know-how de uma empresa experiente e uma marca reconhecida. Porém, a decisão sempre passa pelo perfil do empresário e seus objetivos. Na dúvida, uma conversa com especialista em negócios pode ajudar a esclarecer pontos importantes para essa decisão.

Entre em contato com a gente para conversar sobre as possibilidades de investimento e como podemos ajudar nesse importante momento da sua vida.

Fonte: https://www.alfafranquias.com/blog/abrir-uma-franquia-ou-comecar-um-negocio-proprio

SETOR DE FRANQUIAS CRESCE 6,3% NO 3º TRI E GERA MAIS DE 80 MIL NOVAS VAGAS DE TRABALHO
ÁREA DOS EXPOSITORES - 37º CIOSP CONGRESSO INTERNACIONAL DE ODONTOLOGIA DE SÃO PAULO

Deixe uma resposta